12 de dezembro de 2004

a Música e o domingão

Aí, Pessoal
Sei que não é privilégio meu procurar sentido na vida aos domingos à noite. Uma das melhores maneiras de fazer isso é ligar o rádio do rádio-relógio e ver que música toca. O que o oráculo-dial-fm vai te dizer tem que fazer algum sentido.
Então vai, ouvi meia hora de música e todas encaixaram um pouco na minha vaziez dominical. A programação foi a seguinte:

1. Deslizes, Fagner (incomparável!)
Não sei porque insisto tanto em te querer(...)
Pois aprendi que o meu silêncio vale mais e desse jeito eu trazer você pra mim E como prêmio eu recebo o teu abraço Subornando o meu desejo tão antigo (...)
Me enganando só assim somos amigos


2. Próxima: Se eu não te amasse tanto assim, Ivete Sangalo (dispensa comentários!)

3. Seguinte: Adriana Calcanhoto, não sei nome da música.
"Avião sem asa,
piu piu sem Frajola,
Buchecha sem Claudinho,
Sou eu assim sem você"
(não nessa ordem)

4. Na seqüência: Dinheiro na mão é vendaval, é vendaval , do da Viola. (linda!)

5. Mais uma pra você querido ouvinte:
"Eu perco o sono e choro, sei que quase desespero mais não sei porque..."
(Na versão Paula Toler acústico, muito menos gritada e muito pior)

“A vida é sempre um risco eu tenho medo do perigo.”
“...que justifique a vida pelo menos neste instante”

6. Mais uma, horror!
Colombina, do Ed Motta. Pelamordedeus!
“Sou um triste pierrot mal amado, mestre sala desacompanhado!”

7. Pra finalizar a noite: Zizi Possi
“Noite, à horas te espero e vc não chega. Ai meu coração!
Fogo aceso, ...e paixão
Sou toda explosão!”

Daí veio o intervalo comercial e começou a tocar Simone. Melhor eu desligar logo.

Boa noite!