25 de janeiro de 2006

O mundo é uma quitinete, parte XXIII

Peguei carona com grande amigo do meu primo, que é primo de uma grande amiga. Pode?!

Samba universitário

Fim da noite, samba. Circo Voador, ao lado dos Arcos da Lapa, lua minguante bonita.
Sambinha beeeeem universitário, mas bem legal.

Casa, cinco da manhã. Quero morar aqui.

Assal tim bancos

Outro dia de praia, poxto 9 de Ipanema. Não achei os intelectuais, nem os artistas, nem as modelos, nem os maconheiros, nem os apitos. Só adolescentes.

Tudo muito caro depois fui conhecer o projeto no qual meu primo trabalha. CIEP de Humaitá, meninada nervosa. Dei uns pedaços de aula sobre os saltimbancos, peça que eles vão montar.

Como?

Assalto a banco, dona?

Ridijaneiro

Manhã na praia neste domingão. E, brilhando na areia que me camufla, eu passo por uma turixta. Meu primo salva de não me explorarem muito. Não, merrmão, é dois reais!

À tarde, passeio no centro. Resolvi levar a câmera, contra as recomendações da minha tia e seguindo as do meu primo. Em frente a UERJ, um figura pequeno, com faquinha de serra tramontina, vem delicadamente pegar a câmera do meu ombro. Sai fora merrmão, com um tapa no peito do carinha, que sai fora mesmo! O máximo de medo que planejei passar aqui já rolou. Bom!

Depois daí, fantasiei minha câmera numa sacola de feira e tranqüila subi no bonde de Santa Teresa com um motorista beem carioca, que parava o bonde no caminho pra galera subir no estribo. Lá em cima, vista de tudo com o pão de açúcar no fundo. Foto: depois eu mostro.

Rio de Janeiro

5 horas de viagem à jato num cometão prata mais velho do que eu. Aê pessoal, meu nome é Jorrge, vamos levar umas cinco horas e meia e é proibido fumar mesmo no banheiro, diz o motorista. Aqui se fuma no ônibus, legal!

Às cinco da manhã e 27 graus de calor, encontro quase toda a cidade embriagada voltando pra casa, outra parte caminhando com cachorros, outra trabalhando. Pra não acordar a parte que estava dormindo, resolvi dar um tempinho na praia.

Têm velhos pescando da areia, com gaivotas pairando suaves sobre os peixes. Tem casais caminhando, crianças fugindo do mar gelado e desenhando na areia. Passam três meninos pretos e um pergunta. Aê, rola umas hora aí?

6:30 da manhã, Praia de Copacabana