29 de dezembro de 2008

Carta de hoje

Ao contrário do que se pode pensar, significa conflito individual em um triângulo amoroso.
Meu tarô anda falando comigo.

27 de dezembro de 2008

Aniversário de 9 anos!


Hoje é o dia do meu segundo aniversário!

26 de dezembro de 2008

23 de dezembro de 2008

Toque me, sou tua!

Na estação da luz, hoje a tarde, uma senhorinha tocava um dos pianos.

Com os cabelos bem vermelhos e um brinco grande em forma de M foi que eu adivinhei sua história enquanto assistia a apresentação.

Madalena, chutei ser seu nome, tocava um piano autodidata, com os dedinhos encolhidos ela martelava as teclas enquanto sorria pra multidão que se aglomerava.

Martelava a velha canção sobre uma mulher galopeira, e subia as oitavas dedilhando em busca da nota certa.

De seu sorriso sensual, escondido atrás da velhinhice, imaginei-a rodeada de homens em uma casa de mulheres trabalhadoras.

Dava pra ver que Madalena era acostumada com o palco, talvez até tivesse nascido para ele, e que noite após noite ela tocara para embalar tantos galopes, em outras paragens.

20 de dezembro de 2008

Sabedoria Elisa Lucinda

Tava brincando de oráculo com o livro de poesia da Elisa Lucinda.

Oráculo é: pensa numa coisa e abre o livro.

Veio essa cantiga.

Meu homem
escuta essa minha lira:
De noite suas costas são
a minha escuridão mais clara
rara, te vejo nítido roçando
Os lábios do meu beijo
.Meu desejo circula pelo corpo como um som
e eu não concentro amor só na parte
Parte, volta...
Minha abertura pequena se expande
profunda para onde não sei

Meu homem
escuta essa carícia:
Delícia sua mão
me pega pelo dorso
como se fosse a primeira mão
primeiro menino, primeiro selo, primeiro varão.
Meu erro de me estabanar me dá medo.
É cedo e o trem ainda não apitou.
Escuto no entanto a fábrica da cidade de São Paulo
soando lá fora

Deve ser manhã.
A claridade que assusta seus olhinhos azuis
vai morrer de medo de mim quando eu chegar.
Vou tirar meu amor da mala
exala tudo cheirando a amêndoas doces
colônia e creme de barba
Tudo se acalmará em fogo
quando a nossa água definitiva
invadir o ar com seu cheiro de querer forte
Sorte
Vou chegando
Distância some.

Escuta meu homem
essa minha cantiga
um dia me caso contigo
no fundo sou
uma menina antiga

7 de dezembro de 2008

3 de dezembro de 2008

Ai, se não fossem vocês...

Homenagem a Raquel e ao Dudu, por me aguentarem rrrromântica e escandalosa na casa deles, de madrugada.

Não vejo mais você faz tanto tempo
Que vontade que eu sinto
De olhar em seus olhos, ganhar seus abraços
É verdade, eu não minto

E nesse desespero em que me vejo
Já cheguei a tal ponto
De me trocar diversas vezes por você
Só pra ver se te encontro

Você bem que podia perdoar
E só mais uma vez me aceitar
Prometo agora vou fazer por onde nunca mais perdê-la

Agora, que faço eu da vida sem você?
Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer
E te querendo eu vou tentando te encontrar
Vou me perdendo
Buscando em outros braços seus abraços
Perdido no vazio de outros passos
Do abismo em que você se retirou
E me atirou e me deixou aqui sozinho