6 de julho de 2005

Váááááárias do dia de hoje

Vááááárias coisas pra comentar, outras eu nem comento. Pra facilitar a atualização do querido leitor vou escrever em itens; minha cabeça ta desorganizada, minha vida está corridíssima, mas eu gosto mesmo disso.

1. Depois de 3 anos, 170 páginas, 48 notas de rodapé, 45 livros na bibliografia, 1 viagem, 1 cirurgia, 3 amores, 3 casas, 4.219 crises, 2 semanas de insônia, 9 fitas de vídeo com imagens gravadas, 5 fitas com entrevistas, 7 versões quase finais, 8 cópias encadernadas em espiral, 2 ônibus até a usp, 1 assinatura, EU VOU DEPOSITAR NA SEXTA-FEIRA. Sem mais.

2. Constatei hoje: como pude viver tantos anos sem a voz da Na Ozzetti? Estou obcecadamente ouvindo na amiga rádio uol a música que diz coisas tão bonitas, ( mesmo que não tenha sido ela quem escreveu, quem “diz” é ela)

“De um lado vem você com seu jeitinho

Hábil, hábil, hábil

E pronto!

Me conquista com seu dom”
(...)
“Um método de agir que é tão astuto

Com jeitinho alcança tudo, tudo, tudo

É só se entregar, é não resistir, é capitular”
(...)
“No site o seu poder provoca o ócio, o ócio

Um passo para o vício, o vício

É só navegar, é só te seguir, e então naufragar”

Acho que deu pra entender, então, sem mais.

3. O que não deveria comentar...
trecho da reportagem sobre o São Paulo Fashion Week na Folhasp, por Erika Palomino despejando tudo o que entende do mundo da moda. Me impressiona a capacidade de teorizar sobre a futilidade...

“Dando prosseguimento a seu novo espírito romântico e lúdico, Herchcovitch mostrou praticamente um passeio na floresta, com decoração de acrílico no contra-luz dos janelões da Bienal: unicórnios, cavalos-marinhos, cogumelos, corações e flores”

Até tem mais, mas estou com preguiça.