31 de dezembro de 2009

Um bonito número!


O número dez quase sempre me cativou.

O dez na prova.
Os dez anos de idade, quando fazemos duas mãos cheias de dedos.
A camisa dez.
A tabuada do dez é a mais fácil.
As dez da manhã é uma hora linda de acordar.
A facilidade do dez virar centena e milhar.
Todo dez é também uma forma de um, então: recomeçar!

Então, para todos os queridos ouvintes e leitores,
amigos e amigas próximos e distantes,
amantes do passado e do futuro e também para os imaginários,
para meus irmãos e irmãs,
para meus alunos e meus professores,
para meus pais, tios e avós vivos ou só na memória,
para os bebês que nasceram e nascerão,
para os meus amores,

desejo um ano inesquecível e novinho em folha!